• Ale Noite GD

Semana 0 - Backstage e os altos e baixos do início da jornada

Atualizado: 18 de Out de 2019


ALERTA DE TEXTÃO, muita coisa aconteceu antes do primeiro video do meu canal (LINK) e não quero ficar criando várias páginas para contar essa história, quero focar no desenvolvimento do meu jogo a partir desta postagem, porém quero contar o que aconteceu antes e por isso estou chamando esta postagem de Semana 0. Como estou sozinho nessa jornada e eu já conversei com muita gente que já passou por situações semelhantes, talvez compartilhar essa parte da história tenha algum valor. Espero que tenha. Vou falar um pouco das minhas motivações, o caminho que me levou a isto, porque eu comecei e recomecei o AleNoiteGD.

Lembrando que as próximas postagens vão ser mais focadas no desenvolvimento do jogo e a gente vai se conhecer com o tempo, então se não quiser ler está postagem que tem um foco maior em quem sou eu, mas querem acompanhar o desenvolvimento do jogo, pulem para o páragrafo lá no final da página onde tem o título enorme "Agora voltando ao desenvolvimento do meu jogo", e leia a partir daí, sem problemas :)

Tempo estimado de leitura: 1 século e meio (que equivalem a 14 Minutos)

​Eu sei que algumas pessoas (amigos principalmente) estão sedentos por saber: "cadê seu jogo?", "já fez?". Logo que tive essa ideia de fazer jogos de forma independente comecei a sondar com os amigos próximos o que eles achavam, uns acharam loucura, outros que fazia todo sentido, alguns que eu deveria arriscar, outros que eu deveria ser cauteloso. O que não faltaram foram opiniões sobre. E eu queria mesmo entender isso de muitos pontos de vistas diferentes e escolher o melhor caminho.


Afinal, na época eu trabalhava na Tapps Games, que é uma das maiores empresas de jogos do Brasil, emprego fixo, pagava direitinho, tinham pessoas incríveis, etc. Lá exercia o cargo de QA (Quallity Assurance), o que significa, basicamente, que eu assegurava a qualidade dos jogos deles, reportando bugs, fazendo sugestões de melhorias e revisões de documentos dos jogos. Sair desse emprego (que para muita gente é dos sonhos) e tentar fazer seus próprios jogos sozinho, do zero, sem investimentos externos, sem pais ricos, realmente parece loucura.

Desde o primeiro momento que pensei sair da empresa para fazer meus próprios jogos até o momento de sair foram meses. A pergunta ficava na minha cabeça quase que diariamente. Eu entrei na Tapps logo no finalzinho da faculdade (2015), e já fazia um bom tempo que estava procurando emprego na área - sem sucesso. Por mais que eu tenha me esforçado em muitos projetos da faculdade, tenha feito projetos por conta própria, ganho um edital da prefeitura, participado de várias game jams, parecia bem dificil entrar nesse mercado. A Tapps acho que foi a terceira ou quarta entrevista que consegui depois de muitos meses procurando, por isso que sair da empresa parecia muito arriscado. E se eu não conseguisse nada depois?


"Será que eu dou conta de fazer isso?" - Era a pergunta que ressoou na minha mente por muitas semanas.

Minha arte não é a melhor que você vai ver por aí. É difícil mensurar se sou um bom Game Designer, sem jogos publicados, como posso saber? Programação eu fiz pouco na faculdade e depois dela, praticamente foi zero. Sound Design? Eu não sei tocar nem um pandeiro (admiro quem sabe). QA eu faço muito bem, foram 3 anos trabalhando com isso, mas considerando que ela é uma atividade que depende das outras atividades, como isso pode me ajudar estando sozinho? Marketing, aprendi bem pouco na faculdade e o foco não parecia nem um pouco Indie (Indie é Termo comumente utilizado pela comunidade para designar pessoas que trabalham com jogos de forma independente de estar em grandes empresas). Minha família não tem muito dinheiro para investir, nem faculdade eu teria feito se não fosse pela bolsa....

E aí você vai em eventos e vê jogos incríveis.

E aí você vai no Instagram e vê artes incríveis.

E olha para os vários projetos seus que estão na gaveta.

E então você sente que é incapaz.


Você se questiona: Porque isso é importante? Porque eu vou largar meu emprego para me arriscar? O que meus jogos tem de tão importantes para o mundo? Vale a pena a dor de cabeça e a insegurança?

Foram muitas questões, alguns dias eu ficava sozinho na empresa, em um lugar isolado, olhando pro céu fritando com essas questões na minha cabeça. (durante o horário de almoço geralmente, caso meu ex-chefe esteja lendo isso hahaha).

E para ser sincero, eu não sei exatamente porque, só sei que eu me sinto muito bem desenvolvendo, criando jogos, fazendo arte para eles e mais importante, eu sempre me lembro das emoções das pessoas que jogaram os meus protótipos e jogos e essa sensação de "putz, eu fiz um jogo e ele está sendo divertido para alguém" é indescritível para mim.


Estando em uma empresa, trabalhando como QA, eu era responsável por um aspecto limitado do desenvolvimento. Eu não poderia fazer a arte, eu não poderia fazer o game design, eu não poderia organizar o projeto, eu não poderia fazer muitas coisas que às vezes sentia vontade de fazer. Eu não poderia transicionar entre eles também. Quer dizer, você até poderia tentar mudar de cargo, mas as coisas em empresas são burocráticas e acredito não precisar detalhar mais do que isso. No tempo livre da empresa, eu ainda trabalhava de vez em quando nos meus projetos, mas era bem raro, considerando que 8 horas de trabalho + viagens que levavam cerca de 2h 30m (somando ida e volta) em transporte público, consumiam muito da minha energia. Existem pessoas que conseguem fazer isso, mas não é para mim.

Eu sentia falta dessa liberdade da faculdade de explorar meus limites. Então mesmo parecendo loucura, eu sabia que precisava fazer alguma coisa. Porque continuar do jeito que estava, parecia mais uma obrigação do que algo que eu sentia prazer em fazer. E quando seu trabalho toma mais tempo da sua vida do que outra coisa, acredito que isso deveria ser algo no mínimo significativo para você. Senão, qual o sentido em viver? Eu sei que o capitalismo nos força a vender nosso tempo, mas acredito que até isso deve ser limitado. A maior parte da sua vida deve ser fazendo coisas significativas para você, não o contrário. Eu me sentia como se não estivesse no controle da minha própria vida, suprindo minhas vontades pelas obrigações de simplesmente ter a carteira assinada. Eu sei que muitos não tem essa liberdade de escolher sair do emprego, mesmo eu tive que ficar mais alguns meses para juntar a grana necessária para me manter e ajudar nas despesas de casa, afinal demoraria um pouco para fazer meus jogos começarem a dar algum retorno financeiro - Mesmo com muito otimismo


Então sabendo que precisava mudar, decidi mudar o meu mindset de incertezas para procurar soluções. Ao invés de me questionar "será que isso ou será que aquilo" eu me perguntava "como vou fazer isso, como vou fazer aquilo". E só de mudar o mindset, as respostas foram aparecendo (teve muita pesquisa também, lógico) mas finalmente, as coisas pareciam começar a fazer algum sentido, novas ideias foram aparecendo e as coisas simplesmente foram se encaixando como um puzzle gigante. Aquilo que parecia loucura me pareceu bem mais viável do que imaginava, já que tinha respostas para muitos dos fantasmas que me assombravam. Encontrei motivações e meios para fazer funcionar essa loucura e aquele sentimento de ser um incapaz foi sumindo aos poucos, pois percebi que sim eu tinha muito valor, e que apesar de não me considerar um especialista em muita coisa, saber um pouco de cada é perfeito para algo como ser um desenvolvedor de jogos independente (e que pretende fazer jogos sozinho).

A motivação para fazer os jogos com o blog e o vlog é de, além de me desenvolver como Game Dev (Daí o GD do AleNoiteGD) é também mostrar mais do dia a dia do desenvolvedor de jogos independente que é tão dificil de encontrar por aí, principalmente em português e conseguir mostrar caminhos viáveis para viver do desenvolvimento de jogos independentes no Brasil. Existem sim blogs/vlogs sobre desenvolvimento de jogos no Brasil, mas o que mais encontrei foram tutoriais específicos, videos teóricos e video aulas - que são diferentes do que eu quero fazer, com maior foco no dia a dia do desenvolvimento. O Brasil tem muita gente talentosa que conheci ao longo do tempo e eu adoraria que esse espaço acabasse inspirando também outros Game Devs a fazerem o mesmo.

Enfim, sai da Tapps no fim de Maio de 2018 (se não me engano).



Apesar da empolgação para começar tudo logo, decidi que deveria desacelerar um pouco e tirar umas férias. Eu estava um pouco estressado e nesse ritmo eu ia explodir em algum momento.

No mês seguinte comecei a trabalhar no projeto, eu tinha uma lista de coisas pra fazer ENORME, ainda tinha coisas para pesquisar, contas para criar nos sites, trocar minhas senhas, dar uma revisada nas minhas redes sociais já existentes, linguagem visual das coisas para decidir, templates de coisas que agilizassem a produção de conteúdo (com o foco no youtube), algumas coisas para o futuro (vocês vão ficar sabendo, cada coisa no seu tempo), fazer o website, muitas coisas sobre marketing, começar a usar o construct e pesquisar sobre ele, etc. .

Bem, era a primeira vez que estava trabalhando sozinho, sem a pressão da faculdade nas datas ou de algum amigo que estava fazendo jogo comigo, era apenas eu. As coisas estavam indo bem, mas ainda faltava um pouco de disciplina. Às vezes eu simplesmente me dava o luxo de ficar o dia inteiro jogando, assistindo série, vendo filmes, qualquer coisa q não fosse meu trabalho. A famosa procrastinação.

Às vezes era um dia, às vezes eram dois, às vezes um pouco mais.

Terminei um namoro também nessa época. E os episódios de procrastinação ficaram mais presentes ainda.

Em algum momento, passado essa bad vibes, voltei a ver alguns amigos e a vontade de seguir com meu projeto ressurgiu. Voltei a trabalhar nele.

Minha intenção era começar a publicar no ano passado, por volta de setembro ou outubro.

Mas eventualmente a solidão batia forte junto com algumas inseguranças que as coisas dariam errado e a resposta era a procrastinação. Minha produção parecia uma montanha russa, às vezes lá em cima, às vezes lá em baixo. Eram ciclos, grandes, menores, mas se repetia.



Então teve as eleições no Brasil. E nesse ano eu realmente queria ter certeza do meu voto visto que a 4 anos atrás, minha noção da realidade era bem diferente. Então achei que valeria a pena pesquisar direito e votar consciente, mesmo as custas do meu trabalho. E foi o que eu fiz, eu vi muitas notícias, artigos, entrevistas, documentários, opiniões e tudo que você possa imaginar. Entrei em algumas discussões nesse meio também. Votei consciente, mas meu psicológico ficou realmente afetado com tudo isso que aconteceu. Eu desisti de fazer minhas coisas depois disso.

Algum tempo depois percebi a besteira que fiz ao priorizar isso em cima do meu trabalho. Pesquisar é importante, votar consciente é importante, não tenha dúvida, mas priorizar isso em cima do meu trabalho com certeza não. Quando a ficha caiu, me perguntei porque o fiz se nunca fui tão ligado assim com a política. Influencia de amigos? Um pouco. Influencia de alguns youtubers? Também... Mas o que estava embaixo disso era de que estava usando isso como uma válvula de escape para fugir das minhas obrigações e medos.


Eu nunca fui uma "figura pública" e mesmo sendo um nicho muito específico (Desenvolvimento de jogos independentes), ter videos no youtube com minha cara lá me assustava um pouco, além das inseguranças de não corresponder expectativas e não conseguir fazer o projeto direito, afinal é muita coisa nova para mim. Eu percebi que a forma que estava encarando a política, era tão procrastinação quanto os dias que ficava o dia inteiro no video game.

Entenda que procrastinação não é fazer nada, é deixar de fazer algo que você sabe que precisa fazer e que é prioridade na sua vida para fazer algo que não é prioridade. Jogar video game depois de ter feito o que você tinha que fazer, não é procrastinação.

Eu precisava voltar a trabalhar mas também precisava parar com esses ciclos de trabalho e procrastinação de uma vez por todas. Porque sabia que uma vez que lançasse o primeiro video, a primeira postagem do blog, eu assumiria um compromisso com as pessoas que me acompanham de sempre trazer novidades do desenvolvimento. Seria bem chato chegar alguma semana e dizer "essa semana não fiz nada do jogo, estava pegando lenda no hearthstone, malz aí galera!".

Decidi então que novembro seria o mês do "organizar a mente" e como dezembro é mês de natal, ano novo, decidi que iria lançar o Ale Noite GD em janeiro e usaria dezembro também para me reorganizar e deixar o possível de coisas prontas.

É dificil dizer o que é "organizar a mente" mas eu vi muitas coisas sobre desenvolvimento pessoal, budismo, minimalismo, documentários, sai com uns amigos de vez em quando. Percebi que às vezes me sentia que tudo era importante e que eu deveria dedicar um pouco do meu tempo para cada coisa.


Mas o fato é que temos 24 horas por dia e o mundo está cheio de problemas que você pode encarar, necessidades que a sociedade impõe a nós goela abaixo e não nos questionamos sobre, e que se você tentar fazer tudo, infelizmente, não vai conseguir. Quando não se tem um emprego fixo, você se torna dono de boa parte do seu próprio tempo e isso ao mesmo tempo que é uma benção, pode ser uma maldição. Como saber que estou usando meu tempo com sabedoria? Será que estou sendo mesquinho com meu tempo? Será que eu não deveria dedicar mais do meu tempo a ajudar aos outros? Essas e outras questões foram parte do processo. Por isso priorizar é importante, se não sua mente (e a sua vida) vira uma bagunça uma vez que tudo parece importante, você não sabe o que fazer primeiro e esse estresse resulta em procrastinação.

Redescobrir o que era importante para mim, passou por um período de me abdicar de tudo que achava importante. Amigos, trabalho, exercícios, veganismo etc. Eu estava fazendo o mínimo possível e tudo que antes era procrastinação eu fiz por um tempo sem culpa. Aos poucos fui percebendo porque essas coisas faziam falta, difícil de colocar em palavras, mas digamos que quando uma coisa está sempre presente, às vezes você só percebe que faz falta quando ela de fato não está lá.

Outra coisa que descobri nesse período de pesquisas foi o bullet journal. Que ajudou imensamente na minha organização pessoal, nele está tudo que eu preciso pra me lembrar das coisas importantes (porque se você não reforça elas, você esquece), parte das minhas memórias e parte do meus planos para o futuro.


Janeiro começou e faltava bem pouca coisa para acabar do AleNoiteGD. Decidi em Novembro/Dezembro Que queria pegar alguns freelas em 2019, porque tem muitos trabalhos pequenos que eu posso fazer em paralelo ao AleNoiteGD que não vão atrapalhar o desenvolvimento dos meus jogos.

Por isso pretendo trabalhar de 2ª a 6ª no AleNoiteGD durante mais ou menos 6 horas, e deixar algum tempinho livre para os focar meus freelas. Eu ainda tenho algumas economias que guardei da Tapps, eu não sou um cara de gastar muito, e meus pais ajudam com as despesas também, mas acho que os freelas podem ajudar muito para me manter trabalhando no AleNoiteGD por muito mais tempo. Afinal, até conseguir viver somente do desenvolvimento dos meus jogos, vai demorar um pouco. Não vai ser fácil, mas estou bem animado com esse projeto!


Não consegui lançar o AleNoiteGD em Janeiro porque meus pais decidiram viajar durante 5 dias, e como fazia muuuito tempo que não ia a praia, achei q deveria ir antes de começar tudo isso, já que quando começasse não sei quando vou ter essa liberdade de novo. Além disso também participei da Global Game Jam, que foram 2 dias, que viraram praticamente 4 porque eu dormi mal nos dois dias de evento (E tive q me recuperar depois hehe). Sempre que você para o ritmo das coisas diminuem um pouco, por isso só consegui lançar o canal agora em fevereiro. Mas pessoalmente valeu o atraso, foram 2 experiências incríveis para mim!

Agora voltando ao desenvolvimento do meu jogo,

em algum momento do ano passado eu queria fazer um "test drive", fazer um jogo, gravando os videos, postagem do blog, mas não publicando nada para ver se me adaptava a rotina. Mas a partir do momento que comecei a fazer (cheguei até a conceituação do jogo, nos primeiros desenhos dele), achei que isso era exagero e que a experiência com o segundo jogo (o que faria junto com você) não seria a mesma coisa, e que as inseguranças do primeiro jogo também eram importantes para o Blog/Vlog. Eu queria que isso aqui fosse o mais visceral possível, e medo, angústias e incertezas também fazem parte do processo. Por isso decidi parar logo no comecinho ele, e recomeçar agora, recapitulando um pouco das ideias que tive na época.

As postagens no blog vão acompanhar o canal do youtube, com novidades toda segunda-feira, aqui vou detalhar um pouco mais do processo já que nos vídeos vou tentar ficar na média de 10 minutos para resumir o que aconteceu na semana. Nas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram) é onde vou colocar mais o dia a dia do desenvolvimento, então me siga por lá também. E quem quiser acompanhar mais de perto ainda o desenvolvimento, vou deixar meu Google Drive aberto que é onde vou armazenar alguns arquivos do jogo e meu Quadro no trello que é por onde vou organizar o desenvolvimento do projeto. Vocês tem liberdade de comentar e dar sugestões aonde quiserem que eu prometo responder tudo.

Um forte abraço e que 2019 seja incrível para todos nós!


#OrganizaçãoPessoal #Motivação #Jogo001Navinha

AleNoiteGD.png
  • YouTube ícone social
  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • Instagram ícone social
  • Google+ ícone social
  • RSS ícone social